Notícias

VOCÊ CIDADÃO

Proteção social é ofertada em mais de 8,3 mil unidades do Cras em todo o país

publicado: 16/01/2020 17h07, última modificação: 24/01/2020 16h48
Famílias em situação de vulnerabilidade social podem procurar um Centro de Referência de Assistência Social para receber orientações, benefícios ou até mesmo acolhimento
Francisca_01.jpg

Francisca da Silva é atendida na unidade de Santa Maria (DF) - Foto: Victor Todeschini

Um espaço onde as famílias mais pobres e desprotegidas podem procurar apoio e proteção social. Este é o Centro de Referência de Assistência Social (Cras), presente em todo o território nacional com 8.360 unidades que garantem cobertura aos indivíduos em situação de vulnerabilidade social. Crianças, jovens, adultos e idosos podem recorrer ao equipamento público para buscar atendimento, orientações e benefícios.

Moradora da região administrativa de Santa Maria, localizada a 26 quilômetros do centro de Brasília, a dona Francisca da Silva, de 65 anos, procurou um Cras após entrar em dificuldades financeiras e emocionais, fruto do fim de um relacionamento. Ela conta que encontrou no centro o Serviço de Convivência de Fortalecimento de Vínculos (SCFV), o que a deu um ânimo novo para continuar a vida. “É o lugar onde encontrei apoio. Quando nos reunimos, é um momento em que a gente se libera. Tudo o que sente, você pode colocar para fora, se está triste, chega e abraça um, beija o outro, põe tudo para fora e sai renovado”, relata.

Além de fortalecer a convivência das pessoas na comunidade e entre os membros da própria família, os Cras funcionam como a porta de entrada da Assistência Social. No Centro de Referência de Assistência Social, por meio da inclusão da população no Cadastro Único para Programas Sociais, as pessoas passam a ter acesso a uma série de benefícios e programas ofertados pelo governo federal.

Na unidade, as pessoas são atendidas por um assistente social ou por um psicólogo que compõe a equipe do Cras. Com esse atendimento inicial, os profissionais entendem as reais necessidades de cada família. O cidadão, então, pode ser encaminhado para outros serviços ofertados pelo estado, que incluem as áreas de saúde e educação.

De acordo com a diretora do Departamento de Proteção Social Básica do Ministério da Cidadania, Tania Garib, um dos objetivos do Cras e dos serviços ofertados é apoiar as famílias na superação das dificuldades, prevenir a ruptura de laços e garantir o acesso a direitos - seja por meio da transferência de renda ou pela proteção social e promoção da qualidade de vida, da autonomia e do protagonismo.

“Hoje, a família em situação de vulnerabilidade social, desde o Suas [Sistema Único de Assistência Social], sabe que tem um endereço que ela pode confiar, que lá ela será atendida e junto com os técnicos terá a busca dos caminhos para superar os momentos de dificuldades”, reforça Garib.

Saiba Mais

Um local público, o Cras está localizado em áreas de maior vulnerabilidade social e oferece diversos serviços da Assistência Social, promovendo a organização e articulação das unidades da rede socioassistencial e de outras políticas. Além do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV), presente em 86% das unidades, o Cras ainda oferta o Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (Paif) e orientações sobre os demais benefícios assistenciais.

Por André Luiz Gomes

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cidadania

Informações para a imprensa:
(61) 2030-2266 / 2412
www.cidadania.gov.br/imprensa