Notícias

RECUPERAÇÃO E ACOLHIMENTO

Porto Alegre ganha comunidade terapêutica para atendimento de jovens dependentes de drogas

publicado: 09/12/2019 10h00, última modificação: 17/12/2019 14h47
Nova unidade vai oferecer atendimento multidisciplinar sem nenhum custo, voltado a recuperação e reinserção social dos internos
9f8e01e5-4e1e-4882-9214-ea99e83ee99f1.jpeg

- Foto: Rafael Zart/Ministério da Cidadania

Porto Alegre/RS - Uma nova comunidade terapêutica do Programa de Auxílio Comunitário ao Toxicômano (Pacto/POA) foi inaugurada neste sábado (07), em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Voltada para adolescentes dependentes químicos, a unidade vai oferecer atendimento multidisciplinar sem nenhum custo, visando a recuperação e reinserção social dos internos. O espaço é o primeiro em área urbana e reforça o trabalho já feito em Viamão, na região metropolitana. “É trazer de volta as pessoas para a vida. Pessoas que estão em vida, mas que não vivem. São prisioneiras, escravos de uma doença gravíssima e que não só destrói a sua vida, como destrói a sua família, e muitas vezes leva ao impacto, à destruição da sociedade. É um trabalho voluntário, é um trabalho meritório”, disse o ministro da Cidadania, Osmar Terra, que esteve presente na cerimônia de abertura da casa.

A instituição possui, ao todo, uma equipe multidisciplinar com 25 funcionários e outros 30 voluntários da sociedade civil não remunerados, como militares reformados do Exército e da Brigada Militar, professores universitários e microempresários. São psiquiatras, assistentes sociais, psicólogos, psicopedagogos, terapeutas ocupacionais, enfermeiros, técnicos de enfermagem e monitores, que ficarão à disposição dos jovens de 12 a 17 anos e 11 meses internados de maneira voluntária na Pacto/POA.

Para a coordenadora da Pacto-Adolescentes, Maria da Graça Gomes Paiva, o foco da instituição é, além da recuperação, a perspectiva de um futuro melhor. “É a mais nova e a mais desafiadora missão do Pacto, pelo pioneirismo. A unidade vai acolher uma faixa etária que o Pacto nunca trabalhou nesses 30 anos de instituição. Não adianta tratá-los, deixá-los na sobriedade, sem uma sinalização de um outro futuro. Este é o nosso sonho na Pacto, uma política de reinserção social para os dependentes químicos em recuperação”, explicou.

Para a internação, os jovens devem ter recebido atendimento no Centro de Atenção Psicossocial de Álcool e Drogas (CAPS-AD), na rede pública, e demonstrar interesse voluntário junto à família. Também participaram da inauguração da Pacto/POA, o representante da Academia Brasileira de Medicina, Dr. Gilberto Schwartzmann; o secretário Municipal de Saúde, Pablo Sturmer; o presidente da Pacto, Reinaldo de Almeida Rego e o deputado Estadual, Sebastião Melo.

Atendimento da Pacto/POA na zona rural

A primeira comunidade terapêutica da Pacto/POA, a Fazenda do Senhor Jesus, na zona rural de Viamão, região metropolitana de Porto Alegre, tem 29 anos de atuação. No local, são atendidos cerca de 70 homens adultos. O Ministério da Cidadania repassa anualmente R$ 422 mil para as atividades da instituição.

Ampliação de vagas em comunidades terapêuticas

Neste ano, o Ministério da Cidadania ampliou a quantidade de vagas financiadas em comunidades terapêuticas. Atualmente, os recursos repassados vão para o atendimento de cerca de 11 mil de pessoas em todo o país. O número é quatro vezes maior do que o registrado no ano anterior.

Campanha de Prevenção ao Uso de Drogas

A segunda etapa da Campanha de Prevenção ao Uso de Drogas do Ministério da Cidadania está no ar. Com foco especial para jovens de 14 a 18 anos, a ação Você nunca será livre se escolher usar drogas alerta sobre as consequências do uso de qualquer tipo de droga, mostrando aos jovens que eles podem ter o desenvolvimento prejudicado ou mesmo a vida interrompida.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cidadania

Informações para a imprensa:
(61) 2030-2266 / 2412
www.cidadania.gov.br/imprensa