Notícias

Em prol da inclusão social, governo federal homenageia menino autista

publicado: 03/09/2019 00h00, última modificação: 04/11/2019 16h56
O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos ofereceu uma festa simbólica para Arthur, de dois anos. Ao prestigiar o evento, o Ministro da Cidadania, Osmar Terra, defendeu a diminuição das diferenças

O combate ao preconceito contra pessoas com autismo foi a motivação de uma festa de aniversário simbólica, oferecida pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, nesta terça-feira (3). A festa foi feita para o menino Arthur, de dois anos. Além da ministra Damares Alves, que recebeu Arthur e convidados em sua pasta, o presidente da República, Jair Bolsonaro, a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, e o ministro da Cidadania, Osmar Terra, também compareceram à homenagem.

No mês de agosto, a história de Arthur e de sua mãe, Sara Onori, repercutiu nas redes sociais. Por mensagem, Sara e o filho foram desconvidados de uma festa de aniversário. O motivo alegado foi o de que Arthur seria “meio problemático”, o que deixaria as outras crianças incomodadas. O menino é autista e, segundo a mãe, não foi a primeira vez que a família passou por essa situação.

Segundo o ministro Osmar Terra, o evento reforça as políticas de inclusão social do Governo Federal. “Esse momento deixa claro a nossa postura de não deixar ninguém para trás. Temos que cuidar de todos, e dar atenção especial aos que mais precisam. Precisamos diminuir as desigualdades e as diferenças”, afirmou.

Emocionada, Sara, de 22 anos, falou sobre a repercussão do caso, que deu maior visibilidade aos problemas causados pelo preconceito. “Não sabíamos que essa história teria essa repercussão. O lado bom de tudo isso é que está nos dando espaço para falar sobre o autismo, para dar informação para as pessoas. Muitas vezes, o preconceito vem de dentro de casa, e só a cultura e a informação podem acabar com isso”, afirmou.

A festa organizada pelo governo federal contou com decoração infantil e uma apresentação do Instituto Steinkopt, chamada “Uma Sinfonia Diferente – Musical para pessoas com autismo”, que tem como metodologia diferenciada o foco na atividade motora e o estímulo à socialização dos envolvidos. O projeto, que utiliza a música e seus elementos na inclusão de crianças e jovens com autismo verbal e não-verbal, já foi premiado como uma tecnologia social pela Fundação Banco do Brasil, na categoria Educação.

Autistas no Censo

Em julho, foi sancionada lei que trata da inclusão de informações específicas sobre pessoas com autismo, nos censos demográficos realizados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). "Atendendo à necessidade da comunidade autista no Brasil e reconhecendo a importância do tema, sancionamos hoje a Lei 13.861/2019 que inclui dados específicos sobre autismo no Censo do IBGE. Uma boa tarde a todos!", escreveu o presidente da República, em sua conta no Twitter. Atualmente, não existem dados oficiais sobre as pessoas com transtorno do espectro autista (TEA) no Brasil.

Sobre o Autismo

O Transtorno do Espectro Autista resulta de uma desordem no desenvolvimento cerebral e engloba o autismo e a Síndrome de Asperger, além de outros transtornos, que acarretam modificações na capacidade de comunicação, na interação social e no comportamento. A estimativa é que existam 70 milhões de pessoas no mundo com autismo, sendo 2 milhões delas no Brasil.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cidadania

Informações para a imprensa:
Ascom/Ministério da Cidadania
(61) 2030-2649/1505