Notícias

Covid-19

Ministro projeta mais de 20 milhões de contemplados pelo Auxílio Emergencial até o fim da semana

publicado: 16/04/2020 16h02, última modificação: 16/04/2020 16h02
Segundo Onyx Lorenzoni, 16 milhões de pedidos via aplicativo de celular foram considerados elegíveis e nove milhões de cidadãos desse grupo já estão homologados para receber repasses


Mais de 20 milhões de pessoas devem terminar a semana com a primeira parcela do auxílio emergencial federal de pelo menos R$ 600 depositado em suas contas bancárias. A projeção foi apresentada pelo ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, em coletiva de imprensa na manhã desta quinta-feira (16.04), no Palácio do Planalto, em Brasília.


O número leva em conta os inscritos no Cadastro Único do Governo Federal, o público específico do Bolsa Família, que começou a receber os repasses de mais de R$ 15 bilhões nesta quinta-feira, e mais de nove milhões de trabalhadores informais, autônomos, microempreendedores individuais e contribuintes individuais do INSS. Esse último grupo fez a requisição a partir de aplicativo lançado na semana passada pela Caixa Econômica Federal.

 

16042020_onyx.jpeg
Foto: Rafael Carvalho/ Min. Cidadania


“Das primeiras 23 milhões de solicitações via aplicativo, 16,4 milhões de cidadãos foram considerados elegíveis. Desse grupo, já foram homologados mais de nove milhões de pedidos. Eles estão aptos a receber o valor em suas contas a partir desta sexta, num repasse que supera R$ 5,45 bilhões”, afirmou Onyx Lorenzoni.


O auxílio será de grande importância para a dona de casa Luzia Costa, de 74 anos, que vive em Arenópolis (GO). Ela contou com a ajuda dos filhos para se inscrever no aplicativo e espera com ansiedade os repasses de R$ 600, que já estão aprovados. “Vou comprar remédio e coisas para comer. A gente vai ficando de idade e não tem apetite para comer qualquer coisa”, contou. “Sempre trabalhei em casa, cuidando dos filhos, ajudando na roça, na fazenda. Foi uma vida sofredora, não foi fácil, mas Deus é bom e está me sustentando”.


Segundo a atualização das 10h desta quinta-feira da Caixa Econômica Federal, mais de R$ 4,7 bilhões já foram creditados para mais de 7,1 milhões de pessoas. A instituição financeira contabiliza 36,7 milhões de cadastros finalizados pelos aplicativos e via Web. O serviço de ligações da Caixa Econômica na Central 111 recebeu mais de 27,4 milhões de ligações e os acessos ao site superaram 274 milhões de visitas.


Segundo o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, o esforço conjunto que vem sendo feito pelo Governo Federal já se consolida como o maior movimento de políticas sociais em tão breve prazo de que se tem notícia. “Só esta semana, temos uma estimativa de pagamentos da ordem de R$ 15 bilhões”, afirmou.


CPF, uma segurança


O ministro Onyx Lorenzoni ressaltou, ainda, a necessidade da manutenção de um CPF regular como um dos requisitos estratégicos de segurança para garantir que o benefício chegue, de fato, às pessoas que mais precisam dos repasses do auxílio emergencial.


“Hoje, temos 577 mil presidiários no Brasil com CPF ativo. Desses, em torno de 70 mil tentaram burlar o sistema de controle que temos com Dataprev e Caixa Econômica Federal no aplicativo. Queremos deixar claro: os R$ 600 não são para bandidos, mas para famílias de trabalhadores, pessoas vulneráveis, que precisam ser protegidas, e não para espertalhões”.


“Digo isso por conta de termos visto via imprensa que um juiz quer cancelar a exigência de que exista o CPF para fazermos a seleção dos elegíveis. Se o CPF for cancelado, há 577 mil presidiários que poderão organizar nos presídios usinas de fraudes”, completou o ministro.


Onyx ressaltou que a Receita Federal vem facilitando o acesso à regularização dos CPFs de quem tem necessidade. Ao todo, cerca de 12 milhões de CPFs foram regularizados nos últimos dez dias. As pendências eleitorais, que eram uma limitação até então, foram suspensas por 90 dias pela instituição.


Quase 70 milhões


A estimativa é de que as três parcelas do auxílio emergencial previstas em lei cheguem a um total de quase 70 milhões de brasileiros. O benefício, com valores que vão de R$ 600 a R$ 1.800, foi aprovado pelo Congresso Nacional e sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro como resposta aos efeitos econômicos causados pela pandemia da Covid-19. O orçamento total atual, destinado via Medida Provisória para esses pagamentos, é de R$ 98 bilhões.


Segundo projeções do Ministério da Cidadania, 51 milhões de pessoas inscritas no Cadastro Único do Governo Federal são elegíveis ao benefício. Isso significa 70% das pessoas que estão nas bases de dados federais e 95% dos integrantes do Bolsa Família. Ao todo, o Cadastro Único reúne cerca de 73,4 milhões de pessoas.


Ascom – Ministério da Cidadania