Notícias

Covid-19

Confira as dúvidas mais comuns sobre auxílio emergencial nas redes sociais da Cidadania

publicado: 21/04/2020 11h32, última modificação: 23/04/2020 12h37
Prazo para análise dos dados, acompanhamento da solicitação e direito ao benefício estão entre as principais questões levantadas nos canais digitais do ministério


Mais de 24,2 milhões de brasileiros já receberam a primeira parcela do auxílio emergencial, num investimento de R$ 16,3 bilhões para enfrentar o período da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). A atualização dos dados, assim como o anúncio de que a segunda parcela do benefício será paga a partir de quinta-feira, foram feitos em coletiva de imprensa na tarde desta segunda-feira, 20.04, no Palácio do Planalto, em Brasília (DF). O acesso ao benefício com as premissas de segurança e agilidade é resultado de um trabalho articulado do Governo Federal, capitaneado pelos ministérios da Cidadania e da Economia, além de Caixa Econômica Federal, Dataprev e Receita Federal, esta última responsável por um processo de regularização de mais de 13,6 milhões de CPFs.


Para garantir a segurança da operação como um todo, são necessários complexos cruzamentos de dados dos usuários. É necessário ter eficiência, cuidado e o cumprimento de todos os requisitos legais para assegurar que o pagamento chegue, de fato, às famílias mais vulneráveis.  Essa espera pela análise dos dados até a data do pagamento é uma das dúvidas mais corriqueiras entre os usuários nas redes sociais do Ministério da Cidadania. Confira, a seguir, uma série de respostas a essa e a outras questões levantadas nos canais digitais do ministério.

 

 


Fiz o meu cadastro logo no lançamento do aplicativo e ainda não recebi o auxílio. Por que está demorando?
A segurança das operações é uma premissa desde a concepção do auxílio emergencial. Os níveis de cruzamentos de dados de todo o processo são complexos. O cadastramento não garante o recebimento do benefício. Os dados informados são validados pelo Governo Federal e, após a aprovação, o benefício é liberado. O prazo para validação é, em geral, de até cinco dias úteis. Para os trabalhadores que fizeram a solicitação do auxílio emergencial por meio do site ou do aplicativo, a Caixa Econômica depositará o crédito na conta informada até cinco dias depois da validação.


Fiz a solicitação do auxílio. Como vou saber se fui aprovado?
Você pode acompanhar o pedido na opção do aplicativo “Acompanhar Solicitação”, ou ainda por meio do site www.auxilio.caixa.gov.br. Se não conseguir por esses caminhos, é possível verificar se teve o auxílio concedido por meio da Central de Relacionamento da Caixa, no telefone 111, disponível todos os dias das 7h às 21h.


Errei o preenchimento de dados no site ou no aplicativo. E agora?
Uma vez finalizado o cadastro no aplicativo, os dados são guardados para verificações com as bases de dados administrativas federais. Não há opção de edição posterior ao envio. Por isso, todos os dados preenchidos devem ser confirmados com cuidado antes da finalização do cadastro. Após as avaliações, o retorno da solicitação deve ser verificado no próprio aplicativo, que informará se a concessão foi aprovada ou negada.

Em caso de a resposta ser negativa, o cidadão tem o direito de contestar o resultado ou fazer uma nova solicitação. Se a resposta que recebeu foi que os dados eram inconclusivos, o caminho é uma nova solicitação. Os motivos habituais de inconclusão são os seguintes:

• Marcação como chefe de família sem indicação de nenhum membro
• Falta de inserção da informação de sexo
• Inserção incorreta de dados de membro da família, como CPF e data de nascimento
• Divergência de cadastramento entre membros da mesma família
• Inclusão de alguma pessoa da família com indicativo de óbito.

Se o resultado da análise técnica for "benefício não aprovado", o cidadão pode contestar o motivo da não aprovação ou realizar nova solicitação.


Eu recebia o Bolsa Família, mas meu benefício foi bloqueado/cancelado. Tenho direito ao auxílio emergencial?
Sim. Você receberá o auxílio se for identificado que cumpre todas as regras estabelecidas, após as verificações feitas pelo Governo Federal. Lembrando que quem já está no Cadastro Único (até 2 de abril de 2020) ou recebe o Bolsa Família não precisa solicitar o auxílio, que será pago automaticamente.


Já estou no Cadastro Único. Por que ainda não recebi o auxílio?
Todas as famílias cadastradas no Cadastro Único estão passando por uma avaliação automática dos dados e receberão o benefício do auxílio emergencial se atenderem aos critérios do programa.


Estou no Cadastro Único mas não integro o Bolsa Família. Tenho direito?
Quem se registrou no Cadastro Único até 2 de abril de 2020 e se enquadra no perfil para receber o auxílio emergencial, mas não recebe Bolsa Família, terá um calendário próprio de recebimento do benefício de R$ 600. Na primeira solicitação, as pessoas não vão necessitar baixar nem se cadastrar no aplicativo. Elas estão identificadas pelo Governo Federal e receberão o valor automaticamente. Caso o primeiro pedido seja negado e a pessoa acredite que possa haver erro de informações no Cadastro Único, ela pode solicitar o auxílio emergencial via aplicativo ou site da Caixa Econômica Federal.

Estou no Cadastro Único, mas meu cadastro está cancelado. E agora?
Caso sua inscrição no Cadastro Único esteja cancelada ou excluída, acesse www.auxilio.caixa.gov.br ou baixe o aplicativo Caixa Auxílio Emergencial para fazer o cadastro específico do auxílio emergencial.


Estou no Cadastro Único, mas não tenho cartão ou senha cidadão, nem indiquei conta para crédito dos recursos. Como vou receber?
Para esse público, a Caixa Econômica adotou como norma a criação automática e gratuita de uma poupança social digital.

Recebo seguro desemprego/aposentadoria. Tenho direito ao auxílio?
Se você já estiver recebendo outro benefício do Governo Federal, não receberá o auxílio emergencial.

Não tenho o CPF dos filhos no Cadastro Único. Como provar que preciso receber o valor de R$ 1.200? Como atualizar os dados?
As pessoas que estão no Cadastro Único serão avaliadas automaticamente, na composição familiar que consta na base de dados federal. Não é possível realizar qualquer alteração nessas informações, nem realizar cadastro pelo aplicativo. Se você já estava no Cadastro Único até 2 de abril de 2020 ou recebe o Bolsa Família, será feita uma análise automática para verificar se cumpre todas as regras para receber o auxílio emergencial. São pagos até dois auxílios por família.

 


Ascom – Ministério da Cidadania